20.8.14

ALERTA - VIRUS DA ÉBOLA


Para além das informações e precauções a ter, divulgadas pelas Autoridades Canadianas competentes, aconselha-se ainda a que leiam as recomendações da Direção-Geral da Saúde de Portugal no link:  www.dgs.pt

Um surto de Doença por Vírus Ébola decorre na Costa Ocidental de África desde fevereiro de 2014.

A infeção resulta do contacto direto com líquidos orgânicos de doentes (tais como sangue, urina, fezes, sémen). A transmissão da doença por via sexual pode ocorrer até 7 semanas depois da recuperação clínica.

Uma vez que o período de incubação pode durar até 3 semanas é provável que novos casos venham ainda a ser identificados.

O risco para os países europeus é considerado baixo. No entanto, impõem-se medidas de prevenção que se detalham nos documentos publicados no link: Medidas




1. Na Guiné-Conacri, Serra Leoa e Libéria a propagação da epidemia de Ébola deve-se, sobretudo, ao facto de serem países contíguos, com delimitação porosa de fronteiras, isto é, permeáveis e como tal atravessadas por populações rurais, onde os respetivos sistemas de saúde são muito frágeis e as condições socioeconómicas são, igualmente, débeis; 
2. Por outro lado, a atividade epidémica na Nigéria é explicada a partir da importação de um caso, que viajou por via aérea, dando origem a cadeias de transmissão, que tudo indica estarão controladas até ao momento; 
3. A situação na Costa Ocidental de África impõe ações de prevenção e controlo quer na fonte, portanto, no epicentro da epidemia, quer nas medidas que visam impedir a exportação de casos de doença para outras regiões do Globo; 
4. As Autoridades Portuguesas têm insistido na necessidade da distinção entre o problema que surgiu inicialmente na Guiné-Conacri, que se propagou àqueles países Africanos, e a eventual importação de casos em Estados de outros Continentes; 
5. Como tem sido sublinhado, em países como Portugal os recursos existentes permitem evitar ou reduzir o risco de transmissão de casos de infeção; 
6. Pelos motivos assinalados as Autoridades Portuguesas, incluindo o Ministério dos Negócios Estrangeiros, tendo em atenção o princípio da precaução, aconselham os cidadãos a viajar para aqueles três países apenas em caso de absoluta necessidade; 
7. Os sítios da internet quer da Direção-Geral da Saúde (www.dgs.pt) quer da Direção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (www.secomunidades.pt) contêm informações permanentemente atualizadas nas respetivas áreas de intervenção, incluindo conselhos a viajantes; 
8. Do mesmo modo, estão disponíveis a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) para esclarecimentos complementares, bem como a linha telefónica do Gabinete de Emergência Consular (961706472 ou 217929714), que funciona em permanência para situações de urgência ocorridas no estrangeiro.

No comments:

Post a Comment

Arquivo - Archive

Followers