14.12.12


XXXIII "Portugal no Coração" - Outubro de 2012


Decorreu de 22 a 30 de Outubro findo a XXXIII edição do Programa "Portugal no Coração", no qual participaram 15 elementos provenientes de: África do Sul (4), Argentina (4), Brasil (6) e Venezuela (1).

Os participantes percorreram diversos pontos de Portugal, onde puderam estabelecer contactos, tendo ficado acomodados em instalações do INATEL.

Como em anos anteriores, o Programa foi promovido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, pelo Ministério da Solidariedade e da Segurança Social e ainda pela TAP. A organização coube à TAP, Fundação INATEL e à Direção Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas (do Ministério dos Negócios Estrangeiros).

O Programa beneficia cidadãos portugueses emigrados fora do continente europeu, de escassos recursos financeiros, com 65 ou mais anos de idade e que não tenham visitado Portugal há mais de 20 anos.

Desde o seu início em 1996, o "Portugal no Coração" movimentou um conjunto de 768 nacionais emigrados na África, Américas e Oceania.  

13.12.12


Mensagem do Honourable Jim Karygiannis, P.C., M. P., por ocasião do Dia da Independência de Portugal, 1 de Dezembro






12.12.12

10 de DEZEMBRO - DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS - 64.ª ANIVERSÁRIO DA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS


O Governo português associa-se plenamente à comemoração do aniversário do Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Este dia foi decretado pelas Nações Unidas, em 1950, para evocar a data de adoção da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a 10 de dezembro de 1948.

Portugal é um país fortemente empenhado no respeito pela universalidade e indivisibilidade dos direitos humanos e liberdades fundamentais, princípio que se encontra materializado na Constituição da República Portuguesa, assim como no respeito pelos instrumentos internacionais de Direitos Humanos dos quais Portugal é parte.

O compromisso de Portugal com a defesa dos Direitos Humanos é inquestionável e reflete-se, designadamente, na luta pela abolição da Pena de Morte, onde fomos pioneiros; na promoção dos Direitos das Crianças, das Mulheres e da Juventude; e ainda dos Direitos Económicos Sociais e Culturais, nomeadamente o direito à educação e o direito à água e ao saneamento.
Enquanto membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas durante o biénio 2011-2012, Portugal tem contribuído para que o respeito pelos Direitos Humanos seja, cada vez mais, um ponto fundamental na agenda do Conselho e para que o respeito pelos Direitos Humanos constitua uma realidade efetiva em todo o mundo.

A candidatura portuguesa ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas para o triénio 2015-2017 constitui uma prioridade nacional. Temos a convicção de que a nossa participação neste órgão constituirá uma mais-valia para o trabalho das Nações Unidas em defesa dos princípios fundamentais da dignidade da pessoa humana e da universalidade e indivisibilidade dos Direitos Humanos.

A nível nacional, o Governo português salienta a ação que tem vindo a ser desenvolvida pela Comissão Nacional para os Direitos Humanos, um órgão com funções de coordenação interministerial, que visa promover uma abordagem integrada dos Direitos Humanos e a concertação entre as entidades públicas e o diálogo com a sociedade civil, em matérias de Direitos Humanos

9.12.12


Concerto de Natal na Catedral Basílica de Notre Dame, em Ottawa

 


Com a canção tradicional "Natal de Elvas", Portugal participou na edição deste ano do Concerto de Natal da Delegação da Europeia e Missões Diplomáticas dos Estados Membros da UE no Canadá. O objetivo do evento é apresentar ao público canadiano canções típicas de Natal do maior número possível de Estados Membros da UE, cantadas nas suas respetivas línguas.
 
O Concerto teve lugar no dia 7 de Dezembro, na Catedral Basílica de Notre Dame, em Ottawa, e, para além de Portugal, integrou canções tradicionais de Natal  de França,  Estónia, Holanda, Grécia, Reino Unido, Suécia, Roménia, Polónia, Itália, República Checa, Alemanha e Eslováquia.
 
A canção portuguesa foi cantada pelo "Calixa Lavallée Choir", da Universidade de Ottawa, dirigido por Laurence Ewashko. 
 
A apresentação terminou com a canção austríaca "Stille Nacht" ("Noite Feliz", na versão em Português), cantada conjuntamente pelos quatro coros participantes e por toda a assistência em Alemão, Francês e Inglês.
 
A participação portuguesa na edição deste ano do Concerto foi organizada pela Embaixada de Portugal, através do Leitor do Instituto Camões, Professor Carlos Gomes da Silva. 

4.12.12

Mensagem de Natal do Embaixador de Portugal no Canadá,

 Pedro Moitinho de Almeida


Nesta época festiva gostaria de dirigir a todos os portugueses e luso-canadianos uma mensagem amiga, desejando que seja um período de descanso e de preparação para o Novo Ano.

Numa altura de especiais dificuldades que o nosso País, e a sociedade internacional de um modo geral, atravessam, torna-se especialmente importante uma maior aproximação e reconciliação entre todos, pois só na unidade encontraremos forças para enfrentar os problemas que afligem tantos de nós.

É, assim, também, uma época de ajuda aos mais desfavorecidos e doentes, aos quais devemos uma mensagem de apoio e de esperança.

A Embaixada de Portugal gostaria, desse modo, de estar mais próxima das comunidades portuguesas, para que a nossa cooperação, juntamente com os Consulados-Gerais e honorários no Canadá, possa ainda ser mais eficaz e pronta no próximo ano.

Como em anos anteriores, afirmo que a melhor forma de as nossas comunidades serem reconhecidas no Canadá é através da promoção e defesa da nossas Língua e Cultura, causa para a qual devemos incentivar e atrair os nossos filhos e as gerações mais novas de luso-descendentes, não os deixando perder essa herança multissecular e rica que trouxemos de Portugal.

A Língua Portuguesa é um Património nosso que se espalhou pelo Mundo e de que só nos podemos orgulhar.

Gostaria também de referir, neste âmbito, o fundamental papel desempenhado pelas associações portuguesas, incluindo escolas e meios de comunicação social, tão respeitadas nesta sociedade e que reforçam a imagem do contributo português para a nação canadiana. Trata-se de um forte e tradicional espírito associativo que ainda ganhará mais ao reforçar os laços com outras diásporas, nomeadamente lusófonas, com as quais temos afinidades de Língua, Cultura e História.

Como acima refiro, juntos poderemos muito, e só dessa forma conseguiremos alcançar os objetivos que nos propomos e que pretendemos, para nós, para as nossas Famílias e para Portugal.

A todos renovo, assim, os sinceros votos de um Feliz Natal e um Bom Ano Novo com paz, saúde e solidariedade.


Arquivo - Archive

Followers